a
Philipe Cardoso Sociedade Individual de Advocacia
CNPJ. 24.723.912/0001-50

Facebook

Twitter

Cardoso & Advogados Associados 2020
Todos os direitos reservados.

9:00 - 18:00

Funcionamento Seg. - Sex.

(21) 3189-6625

(21) 9.8189-6625

WhatsApp

LinkedIn

Facebook

Instagram

Search
Menu
 

TCU vai investigar se auditor atuou para impedir reeleição de presidente da corte

Cardoso & Advogados Associados > Blog Cadv  > Artigos Jurídicos  > Legislação  > TCU vai investigar se auditor atuou para impedir reeleição de presidente da corte

TCU vai investigar se auditor atuou para impedir reeleição de presidente da corte



Nivaldo Dias Filho teria dito ao procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, que era preciso “algum fato contundente” que convencesse o tribunal a não reeleger Aroldo Cedraz O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), determinou a abertura de uma investigação interna contra um auditor federal suspeito de agir para impedir a reeleição do ministro Aroldo Cedraz como presidente da Corte, em 2015.

A iniciativa teve como base mensagens apreendidas pela Operação Spoofing, segundo as quais o auditor Nivaldo Dias Filho diz ao procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, que era preciso “algum fato contundente” que convencesse o tribunal a não reeleger Cedraz.

“Você vê alguma luz?”, questiona o auditor federal de controle externo, segundo os diálogos. Ele será investigado pela Corregedoria do TCU, “tendo em vista a possível ocorrência de desvio funcional”, conforme escreveu Dantas.

O ministro afirma que as apurações devem começar por meio do levantamento de informações no âmbito do próprio TCU, mas que o pedido de compartilhamento de provas com o Supremo poderá ser considerado no futuro.

“Nesse sentido, devem ser verificadas e listadas todas as ligações telefônicas originadas de todos ramais da unidade de lotação do referido auditor para a cidade de Curitiba (PR), no período de 15/5/2015 a 31/12/2015, bem como de eventual telefone celular profissional a ele disponibilizado”, diz o despacho.

A Corregedoria também deverá listar todos os e-mails trocados entre Dias Filho e a Procuradoria-Geral da República (PGR) ou o Ministério Público Federal (MPF), especialmente os que possam ter ligação com Deltan e com outros dois promotores citados nos diálogos, mas ainda não identificados.

“Por fim, devem ser verificados e listados todos os processos que o referido auditor acessou nos sistemas do TCU no mesmo período”, determina Dantas, frisando que a investigação deve tramitar em sigilo.

Aroldo Cedraz, presidente do Tribunal de Contas da União em 2015
Sergio Amaral/Valor


Source link

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

whatsapp
Eu sou o Dr. Philipe Cardoso CLICK AQUI E ME DIGA COMO POSSO AJUDAR!
NA REDE